FIV e FeLV tudo sobre estes virus felinos

FIV e FeLV tudo sobre estes virus felinos

Por favor, continue a ler para educar-se e perceber que existe medos que são desnecessários acerca de FIV e FeLV.

Se o seu gato for portador de um destes vírus não desista dele, lute pois ele é um ser vivo que precisa de sí.  Apesar do FIV e FeLV não ter cura ele pode durar muitos anos se for controlado.

A nossa missão com este artigo é informar as pessoas acerca da FIV e FeLV.

FIV . Como se contrai

A transmissão do FIV em gatos adultos, pode ser realizada através de mordeduras, se o virus estiver presente na saliva do gato.

Por este motivo, os machos que não estão castrados com acesso ao exterior apresentam uma probabilidade maior de contagio.

A transmissão indireta não é muito provável de ocorrer pois o virus no exterior é muito frágil e sensível a desinfectantes comuns, à lixívia e ao calor. Por isso o virus não resiste muito tempo

Por este motivo, é provável também que gatos infectados partilhem o mesmo espaço com outros gatos saudáveis sem que estes se tornem seropositivo.

Ainda que de uma forma teórica seja possível o contacto com saliva de um gato infetado no comedouro ou durante o grooming, e sobretudo se lamber uma ferida do gato infetado.

Sintomas de FIV

Os sinais podem se dever tanto à infecção viral em si como podem ser uma sequência da síndrome de imunosurpressão associada à infecção, tal como o nome indica, que vulnerabiliza muito os gatos a infeções secundárias.

Uma grande maioria dos gatos  doentes apresenta sintomas de doença crónica em episódios recorrentes ou esporádicos.

Os sintomas mais comuns são perda de pesa, febre recorrente, letargia, aumento do volume dos linfonodos, gengivite e estomatologia, sintomatologia respiratória, ocular ou intestinal crónica, alterações dermatológicas e sintomatologia neurológica.

Diagnóstico de FIV

O diagnóstico é realizado através de um teste. Pode ser realizado através de um teste rápido feito na clínica, que habitualmente também testa o FELV.

Estes testes não devem ser feitos em gatinhos até aos 6 meses

Pois, apesar de raramente serem infectados pelas mães, muitos apresentam em circulação anticorpos maternos indistinguíveis dos anticorpos virais, que dá origem a uma grande percentagem de falsos positivos.

Para além disso, tal como no caso do FELV, um resultado negativo para ser definitivo deverá ser confirmado 12 a 16 semanas após o gato ter sido infetado e mantido num local seguro.

FIV tem cura?

O prognóstico de um gato com FIV é melhor do que um gato com FELV por norma.

Não existe nenhum tratamento capaz de eliminar o virus de fiv,tal como no felv. Devem ser adoptadas apenas algumas medidas de suporte para manutenção de um bom estado de saúde

Poderão ser administrados por indicação do veterinário alguns fármacos com o objetivo de controlar e replicação viral e melhorar a condição clinica dos gatos portadores de fiv.

Como prevenir o contagio de FIV                                                  

O virus pode ser prevenido fazendo a castração de machos. Acesso controlado ao exterior, minimizar as lutas ou evitar lutas entre machos principalmente, controlo populacional de gatos errantes. Já existe uma vacina mas ainda se encontra em fase de teste e apenas no EUA.


FeLV . Como se contrai

A transmissão do FELV pode ocorrer por contato direto com gatos infetados, através de grooming, brincadeira ou partilha de objetos, através de secreções corporais como a saliva, secreções nasais ou lacrimais, fezes, urina ou leite.

 

O contacto social é a primeira via de transmissão do vírus, através de comedouros, caixas de areia, ou durante o grooming, contudo, a resistência do vírus no meio ambiente é baixa.

Os filhos de gatas infectadas também podem nascer com o FeLV através de contaminação transplacentária ou na fase da amamentação.

Sintomas de FeLV

A imunossupressão é a principal causa dos sinais clínicos em gatos infectados por feLV, geralmente estes gatos apresentam sinais persistentes ou recorrentes de doença, com uma degradação da condição física ao longo do tempo.

A deteriorização do sistema imunitário compromete a capacidade de combater outras doenças ou infeções oportunistas e a manifestação da doença é muito variável.

Estes animais podem representar sintomas inespecíficos como febre, prostração, anorexia, perda de peso, problemas respiratórios, intestinais ou cutâneos entre outros.

A infeção pelo virus da leucemia felina pode associar-se a quadros de anemia ou até mesmo ao aparecimento de tumores, como o linfoma ou leucemia, daí a origem do seu nome.

Diagnóstico de FELV

O diagnóstico de FeLV pode ser realizado através de exames de laboratório ou então através de um exame rápido feito na clíncia que inclui também o teste de fiv.

Os resultados apresentam uma fiabilidade satisfatória, tal como acontece com outros exames pode ocorrer falsos positivos e negativos.

Portanto, se obtivermos um resultado inesperado, a amostra de sangue poderá ser enviada para laboratório para realização de outras análises.

Sempre que introduzirmos um novo gato em casa, é importante a realização deste teste e a sua confirmação deve ser feita 12 a 16 semanas depois, ja que uma exposição recente ao virus pode fazer com que este ainda não esteja detetável.

Da mesma forma que um gato com um teste positivo não significa obrigatoriamente que o gato esteja doente, podendo apenas apresentar uma forma positiva de infeção.

FeLV tem cura?

Infelizmente não existe cura para animais infetados por felv, porém estes pacientes necessitam de tratamento de suporte para controlo de infeções secundárias.

Necessitam de manutenção de um correto suporte nutricional, um programa de medicina preventiva e consultas de rotina no Veterinário para avaliação do seu estado de saúde.

Em alguns casos, os cuidados de suporte poderão incluir transfusões de sangue para corrigir anemias graves ou até quimioterapia em caso de se desenvolver um tumor.

Apesar de não existir nenhum tratamento capaz de eliminar a infeção, alguns fármacos, podem ajudar a controlar a replicação viral e melhorar a condição clínica dos gatos infetados.

Prevenção de FeLV

A prevenção vacinal desempenha um papel importante. Embora seja uma vacina que não está contemplada em todos os protocolos, é recomendada sempre que a história clínica do gato revele fatores de risco (livre acesso a exterior, exposição a outros gatos).

O que fazer em caso do seu gato ter FIV e FeLV

Um gato portador de FIV FeLV pode passar muitos anos de vida bem ao seu lado, tome todas as indicações do seu Veterinário e sobretudo lhe dê muito amor!

 

O Blog Universo de gatos não assume qualquer responsabilidade pelo conteúdo desta página.

Este conselho não é um substituto a uma consulta adequada com um veterinário e destina-se apenas como um guia. Entre em contato com o seu veterinário local para aconselhamento ou tratamento imediato se estiver preocupado com a saúde do seu animal de estimação – mesmo que estejam encerrados, existe hospitais que dispõem de turnos diurnos e noturnos. Descubra mais sobre o que fazer em um fora de horas de emergência.

Veja também:

FIV – Factos e Mitos
Gengivite nos gatos diagnósticos e tratamento
Encontrei gatinhos bebés e agora?

Gostou do artigo? Então NÃO deixe de PARTILHAR com os amigos!

"Os gatos fazem parte da minha vida, não me imagino a viver num universo sem eles..." Decidi criar este blog por necessidade de partilhar e fundamentalmente ajudar quem necessita de informações, tal como eu. No fundo, apesar de ser um blog, considero este meu trabalho uma fonte de recursos. Há dias que necessito de recorrer a informação para as minhas três gatas e sendo uma delas insuficiente renal com apenas 1 ano de idade... tenho de estar 100% atenta ( a minha fonte de motivação maior! ). Beijinhos e muitos ronrons!! :D

9 Comments

  1. Quando eutanasiar um gato em sofrimento com fiv/ fel/ micoplasma?
    Ele apareceu em casa já doentinho e só foi piorando.
    😢😢😢😢😢😢😢😢

    • Olá Catlover, Neste momento estou a ler um livro chamado Meu Gato, meu Cão: o Adeus do Dr. Frantz Cappé para superar o processo de luto de uma das minhas gatinhas Luna que sofreu de Insuficiência Renal Aguda. A sua pergunta despertou-me muito interesse em querer responder porque também me surgiu há poucas semanas. Este livro aborda temas como a Eutanásia, então tirei um excerto que partilho consigo
      "A decisão da Eutanásia deve ser ditada pelo bem-estar do animal. Não deve ser guiada pela tristeza, pelo medo de o perder, pelo abismo que a sua ausência irá criar. Um animal com uma doença em estado avançado, que não come, que não anda, que já não manifesta alegria ao ver o seu dono, está em sofrimento. Existe um princípio fundamental, nunca deve existir sofrimento para além do que é tolerável." Beijinhos e obrigada pela sua partilha.

  2. Oi Nídia! Deixa eu te contar minha história! Tinha 7 gatos. Todos muito amados, muito bem cuidados. São meus grandes amores. Não compreendo minha vida sem eles. Como dizia meu pai: eles nos ajudam a viver! Tinha uma visita que também tinha gatos, mas ela não cuidava deles. Seus gatos eram muito magros e suspeito que um deles transmitiu FELV para meus gatinhos. Meu coração se despedaçou! Meus amores com essa doença horrível... Mas me mantive firme e até adotei 4 gatinhos dela. Ela os abandonou eu coloquei tela em toda minha casa (gastei uma fortuna) e hoje, por incrível que pareça, eles estão super bem. Isso já faz dois anos, dois anos de diagnóstico e eles estão bem!

    • Olá Graziela :)
      Muito obrigada pelo seu testemunho e admiro os seus cuidados e a ternura com que fala dos seus bichinhos!
      Como eu costumo dizer, o bem estar dos nossos animais depende da forma como nós cuidamos deles e quando colocamos amor nas nossas mãos e no nosso pensamento tudo fica melhor :) Graziela, eu sei que existem outras pessoas com interesse em saber mais informações acerca de FIV e FELV. E eu própria gostaria de ter mais partilhas suas para que possamos ajudar outros donos que passam pelas mesmas situações que a Graziela. Se pudesse dar alguma mensagem a estes donos o que lhes diria? Muitos Beijinhos e desejo que os seus gatinhos continuem bem e felizes!
      Nidia

    • Olá Graziela admirei seu cometario ao ler esta noite muito triste p mim, tenho uma gatinha de 5 anos a Gaby e contraiu a felv estou despedaçada chorando muito, porque o vet me falou q essa doença mata em meses ou dias, e qdo vc falou q a sua ja tem 2 anos me alegrou me deu esperança. Os seus tomam alguma coisa pra estimular o apetite ?... Pois a minha não quer comer nada nem agua, qual foi seu tratamento remedio pra controlar o virus, me ajude com mais informação no tratamento dos seus que pra mim foi muito bom pois estão ai a 2 anos felizes. Quero dá um tratamento eficaz q controle a doença. Beijos e felicidades c seus anjos.

  3. Acabei de perder minha companheirinha, chequei agora da clínica, a eutanásia foi necessária. Ela durou quatro anos, já tinha o vírus quando adotei, era a mais feinha e magrinha da ninhada, imaginei que seria muito difícil de alguém adotá-la por isso me encantei com ela e a trouxe comigo. Foram quatro anos de amor incondicional. Estou aos prantos me indagando se não havia mais nada que eu pudesse fazer para mantê-la viva e saudável. As últimas semanas foram especiais, minha Tequila, prevendo o fim, não se afastava de mim por nada, dormia sobre meu peito e me seguia por toda a casa, quando eu saia para trabalhar ela se aninhava em cima de uma de minhas roupas, carregava uma peça minha para a cama e deitava em cima. Estou dilacerada. Impossível olhar para os cantos preferidos dela e não vê-la mais ali, deitar e sentir meu peito vazio e frio, sem o peso e o calor dela. Apesar do sofrimento agradeço por tê-la incluído em minha vida, ela me ensinou muito de amor, bondade e confiança.

    • Olá, sinto muito pela sua perda.
      Em nome de todos nós que infelizmente já perdemos um animal que será sempre a nossa estrelinha lhe enviamos um enorme abraço cheio de carinho e força.
      Neste momento esta é uma fase muito dolorosa de ultrapassar pois está a passar pelo seu processo de luto. Com o tempo tudo vai abrandar e ficam sempre as boas memórias. Deverá aceitar para poder seguir em frente.
      A aceitação irá o(a) ajudar neste processo. Não se culpe pelo que possa ter acontecido, certamente lhe deu muito amor em quanto esteve cá. Infelizmente é a lei da vida. Muita Força uma vez mais e dê noticias, estaremos sempre cá para o receber. Beijinhos! Nídia

  4. Tenho tres gatos. Com 15, 14 e 11 anos. Eles são saudáveis.
    Como estou fazendo obra eles estão presos dentro de casa.
    Meu quintal é todo telado para que não saiam.
    Com a obra e tela de proteção foi retirada e por esse motivo entrou uma gatinha no meu quintal. Chamei a Vet e fez o testes felv/fiv, no dia 08/06/2018. Deu positivo a FELV, mas não tive coragem de abandonar essa gatinha.
    Devo repetir o teste?
    Estou com o coração partido, mas não posso colocar em risco a vida dos outros três.

    • Olá Elaine, na minha opinião deve repetir. Se der positivo converse com a Veterinária sobre o assunto, não abandone a gatinha não. Se ela estiver isolada dos outros meninos não corre o risco. Bjinhos grandes

Deixar Mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *