Inteligência nos Gatos: Porquê os Gatos são Inteligentes?

Instintivamente, sabemos como é ser humano, mas é muito mais difícil tentar ter uma noção de como funciona a inteligência nos gatos.

De qualquer das formas, podemos ter a certeza de que a nossa versão do mundo difere da versão do gato e tentar entender essas diferenças ajuda-nos a entender a maneira como os gatos reagem às nossas tentativas de os educar ou treinar.

Se julga que os gatos não são inteligentes, vamos apresentar alguns factos que demonstram o contrário! Descubra já de seguida.

Hoje vamos perceber como funciona a inteligência nos gatos, e aprender a estimular a sua mente através de jogos interativos.

Estes são os tópicos que irei abordar neste artigo:

  • O que é a inteligência?
  • Como os gatos pensam?
  • Os gatos sonham?
  • Exercícios para captar a atenção de um gato

Inteligência nos gatos

De uma forma geral, os cientistas aceitam a ideia de haver múltiplas formas de inteligência. Nos humanos, a inteligência manifesta-se de oito formas diferentes:

  1. Linguística
  2. Lógica matemática
  3. Musical
  4. Espacial
  5. Corporal
  6. Naturalista
  7. Interpessoal
  8. Intrapessoal

Este conceito pode ser adaptado nos estudos dos gatos. As últimas cinco formas podem ser usadas para descreverem a inteligência nos gatos.

Acredito que os gatos têm centros de aprendizagem nos seus cérebros para facilitar estas capacidades. Por exemplo:

  • Excelente capacidade para fazer mapas mentais de territórios relativamente grandes = 4
  • Um conhecimento natural de movimentos e de forças: compreender a mecânica = 5
  • A capacidade de escolher o local para viver, pela segurança e pela produtividade = 6
  • Uma compreensão profunda de perigo, autodefesa e de como ser cauteloso = 6
  • A capacidade de saber e de se lembrar do que pode ou não ser ingerido = 6
  • Uma compreensão inata do comportamento de outros animais, incluindo a capacidade de prever o seu potencial comportamento a partir dos seus atos iniciais = 7
  • Uma inclinação intuitiva para patrulhar, investigar e marcar o território = 7
  • Um reconhecimento do papel e da importância da afinidade, especialmente a relação maternal = 7
  • Uma compreensão da importância da higiene pessoal = 8
  • No que diz respeito à perceção do espaço, à inteligência corporal e à inteligência naturalista, a inteligência nos gatos supera bastante a nossa.

Como os gatos pensam?

Alguns especialistas do comportamento acreditam que os gatos “pensam” através das sensações de imagens e de memórias de odores e de ruídos.

Está visto que os gatinhos aprendem melhor através da observação. Por exemplo, os que têm a oportunidade de observar a mãe a caçar e matar ratos, tendem a ser melhores caçadores do que aqueles que não observaram.

Os gatos sonham?

Enquanto dorme, o gato pode fletir as patas, mexer os bigodes e abanar a cauda; pode até sussurrar ou resmungar.

Diz-se que um gato está num sono profundo, “ativo” ou REM (“movimento rápido dos olhos”).

Durante o sono profundo, impulsos elétricos no seu cérebro no seu cérebro estão tão ativos como quando está acordado, por isso é razoável concluir que os gatos sonham como nós, nesta fase.

 

Os gatos gostam de dormir. Em média descansam cerca de 18 horas por dia, e foi sugerido que é nessa altura que ensaiam potenciais atividades corporais, tais como reações de luta ou de fuga.

Treinar um gato

Educar gatos não é um processo tão complicado conforme muitos imaginam. No entanto só irá fazer sentido se se compreender o seu processo de aprendizagem.

  1. Os gatos adaptam-se com facilidade e aprendem do mesmo modo que os outros mamíferos como por exemplo os cães.
  2. Os gatos são espertos conforme os cães também o são. O que acontece é que possuem das suas próprias motivações e necessidades.
  3. Os donos de gatos conseguem encontrar instrumentos necessários rapidamente para alterarem o comportamento do gato e não só para seu benefício próprio, mas também para benefício do gato.
  4. Conseguimos ensinar aos gatos que situações comuns das quais eles não gostam instintivamente, como serem colocados numa transportadora ou que lhes cortem as unhas, podem de facto passar a serem situações agradáveis.

O que deve saber

  1. Para ensinar um gato, deve observar em primeiro lugar as suas atitudes e os seus incentivos naturais, e em seguida aplicar métodos de treino positivos, agradáveis e baseados na recompensa.
  2. A regra numero um para o dono é nunca castigar um gato, independente de ser em contexto de treino ou não.
  3. A reação natural de um gato será abandonar qualquer situação que lhe seja aversiva, e desta forma se eles sentirem que estes sentimentos desagradáveis estão associados ao seu dono, o seu afeto por ele irá diminuir rapidamente.
  4. Até mesmo um castigo ligeiro que lhes cause um pequeno susto ou desconforto pode ter este efeito.
  5. Um exemplo que é recomendado muitas vezes é a utilização de um spray de água para desencorajar os gatos de saltar para o balcão:
  6. o som do spray faz lembrar um silvo de gato, e o toque da água na pele do gato é desagradável. A que é que o gato os associa?
  7. Será ao ato de saltar para cima do balcão ou será à mão do dono?
  8. Apenas fazendo com que o gato esteja completamente desatento do envolvimento do dono é que os resultados de castigo poderão ser alcançados sem prejudicar a relação entre ambos.

Treinar recompensando

A recompensa que irá utilizar durante as sessões de treino deve estar presente para manter o gato incentivado e concentrado no exercício.                                                                                                                                                                                                                                                                          Deve descobrir qual a recompensa preferida do seu gato e utilizá-la. Os biscoitos normais, no entanto, dificilmente agradarão ao seu gato, muito provavelmente se irá afastar de si, e ignorá-lo.

Como treinador terá de ser muito paciente. O ideal é treiná-lo quando se mostrar interessado e estiver com fome.

O essencial de uma brincadeira divertida

Brinquedos interativos para gatos

Todos os gatos precisam de uma seleção de brinquedos que lhes satisfaçam as necessidades instintivas.

Uns são melhores para caça, outros para o ataque, outros para manipular e outros para perseguição.

No que se refere à brincadeira, cada gato tem as suas necessidades. Uns gostam de caçar ao nível do chão, como correr atrás de uma bola, enquanto outros preferem perseguições aéreas.

Os brinquedos que mais satisfazem os gatos são de facto os brinquedos interativos, pois oferecem sessões de brincadeiras mais intensas e divertidas.

Os brinquedos interativos são brinquedos que o tutor controla. Um exemplo simples é o da cana com algum objeto pendurado.

Ao brincar com a cana irá fazer com que o seu gato assuma o comportamento de caça e ao mesmo tempo a pratique exercício e liberte o stress.

Exercícios simples para captar a atenção de um gato

Brincadeiras de caça no chão

A brincadeira é importante para gatos de todas as idades. Oferece-lhes felicidade, exercita a sua mente e fornece-lhes exercício físico, reduzindo a ansiedade e mantendo-os concentrados.

Para este jogo não irá precisar mais do que uma cana com um ratinho pendurado na ponta de um fio

  1. Pendure um fio numa vara, com um ratinho de peluche na ponta. Esconda o ratinho de brincar atrás de um móvel e desloque-o de forma a estimular o instinto de caça do seu gatinho.
  2. Comece por fazer o gato estremecer. Assim irá captar a sua atenção. Afaste o ratinho lentamente do seu gato, e depois mantenha-o uns segundos na mesma posição.
  3. Alterne movimentos, uns mais rápidos que outros. Deixe o seu gatinho se aproximar. Para evitar que fique frustrado, deixe-o capturar várias vezes o ratinho.

Brincadeiras de caça no ar

  1. Poderá utilizar o mesmo brinquedo da cana, apenas prendendo também uma pena.
  2. Desloque o brinquedo como se fosse um pássaro que estivesse a voar.
  3. Muitos gatos gostam de alturas e preferem caçadas mais aéreas.
  4. Desloque o brinquedo com movimentos mais rápidos para longe do gato. Deixo-o capturar a pena e desfrutar desse momento para fortalecer a sua confiança.
  5. Por fim, abrande os movimentos como se a presa estivesse a ficar cansada. Deixe o seu gato capturar mais uma vez e termine a sessão.

Tornar a refeição divertida

  1. Poderá utilizar um brinquedo interativo dispensador de comida, ou então poderá fazer o seu próprio brinquedo com ajuda de uma garrafa de plástico lavada.
  2. Faça-lhe alguns furos suficientemente grandes para deixar passar os grãos. De seguida, coloque lá dentro uma parte de ração diária do seu gatinho.
  3. Construa-lhe um alimentador mistério, com uma caixa de cartão fechada, e com alguns buracos cortados.
  4. Os gatos devem ser suficientemente grandes para o seu gato introduzir a pata mas não a cabeça. Mostre ao seu gatinho e deixe que o veja a colocar a comida dentro da caixa.
Veja também:
Como educar um gatinho
Treinar um gato a passear de arnês
O meu gato não dorme à noite

Gostou do artigo? Então NÃO deixe de PARTILHAR com os amigos!

"Os gatos fazem parte da minha vida, não me imagino a viver num universo sem eles..." Decidi criar este blog por necessidade de partilhar e fundamentalmente ajudar quem necessita de informações, tal como eu. No fundo, apesar de ser um blog, considero este meu trabalho uma fonte de recursos. Há dias que necessito de recorrer a informação para as minhas três gatas e sendo uma delas insuficiente renal com apenas 1 ano de idade... tenho de estar 100% atenta ( a minha fonte de motivação maior! ). Beijinhos e muitos ronrons!! :D