Persa – Conheça a história do gato persa

Gatos persa a sua história

O persa é uma das raças mais antigas e com origens misteriosas.

Os gatos persa estão no topo da lista das raças de gatos mais populares nos Estados Unidos. Eles também são um dos mais antigos. Os Persas têm o pêlo comprido que suaviza as suas características faciais. A sua face não é a única coisa que é delicada. Eles são bem amados por entusiastas pois são serenos, calmos e passivos comparando com os gatos comuns. Vamos conhecer a história desta raça tão adorada.

 

A história do gato persa tem início no século XVII. Um turista italiano chamado Pietro Della Valle viajou pela Pérsia (atual Irão) e trouxe consigo alguns dos lindos gatos que passeavam pelas ruas locais. Ao chegar a Itália, os gatos persa foram admirados pelas pessoas devido ao seu pêlo macio e brilhante.

A moderna raça persa surgiu apenas no século XIX, quando esses gatos que eram criados na Itália foram transferidos para Inglaterra, onde sofreram de alguns cruzamentos com gatos da raça angorá. Logo de seguida fizeram um trabalho de melhoramento genético para obter maior variedade de cores e padrões de pelagem. Hoje existe mais de 100 diferentes combinações de cores para gatos dessa raça, variando desde o branco neve até ao malhado (casco de tartaruga).

Os gatos persa branco puro de olhos azuis penetrantes foram os primeiros a chegar na Europa e nos Estados Unidos. Pensa-se que estes vieram da Turquia para a França durante o ano de 1500, chamado na época “Angoras”,  nome este com origem na capital turca “Ancara”. Mais tarde, depois de cruzarem os persas branco puro com creme, azul e preto, criou-se uma variedade de tons e desenvolveram-se assim os olhos laranja ou cobre. Estes gatos não tinham a predisposição genética para a surdez que existia e ainda existe na maioria dos gatos persa brancos de olhos azuis.

 

A Rainha Victoria gostava de persas azuis, que originalmente foram criados a partir de preto com persa branco. Os azuis tornaram-se extremamente populares até o final de 1800, especialmente entre os membros ricos e aristocráticos da sociedade britânica. Esta cor azul permaneceu popular na Grã-Bretanha e em outros lugares.

O gato malhado de Brown Society foi um dos primeiros gatos de raça pura nos clubes extravagantes na Grã-Bretanha, e foi criado para promover o clássico do gato malhado de Brown em tempos vitorianos. Os Tabbies prata foram pensados para contribuírem no desenvolvimento de Chinchilla persas durante os anos 1800. Os persas cinza remontam à década de 1860. Os Persas pretos foram exibidos na primeira mostra do gato na Grã-Bretanha em 1871, mas pensa-se que datam de 1600. Eles continuaram a ser populares. A tartaruga foi desenvolvida na década de 1890, e rapidamente se tornou popular em ambos os lados do Oceano Atlântico.

O gato malhado de prata foi popular na mostra de círculos de gato no final de 1800. O Chinchilla descendente de uma ninhada nasceu em 1882 a partir de uma prata Angora cruzado com um macho não-pedigree. Os Goldens foram pensados para serem descendentes de alguns cruzamentos Chinchilla na década de 1920. A variedade azul-creme foi reconhecida pela primeira vez na Grã-Bretanha em 1929. Os persas Calico foram reconhecidos pela primeira vez na Inglaterra em 1950, e Lilac remontam à década de 1960.

Os gatos persa foram desenvolvidos nos Estados Unidos, Nova Zelândia e Austrália em 1950 e 1960. O primeiro relatou Cameo Persian na Europa foi criado pouco depois, em 1962, na Holanda. The Blue malhado foi concedido o reconhecimento na América em 1962, mas só alcançou reconhecimento limitado na Grã-Bretanha. O persa bicolor não foi reconhecido no estatuto de campeonato na Grã-Bretanha até 1966. O Calico Van foi reconhecido pela Fife, a associação felina da raça pura internacional, em 1986, sob o nome “Harlequin persa.”

Gostou do artigo? Então NÃO deixe de PARTILHAR com os amigos!

"Os gatos fazem parte da minha vida, não me imagino a viver num universo sem eles..." Decidi criar este blog por necessidade de partilhar e fundamentalmente ajudar quem necessita de informações, tal como eu. No fundo, apesar de ser um blog, considero este meu trabalho uma fonte de recursos. Há dias que necessito de recorrer a informação para as minhas três gatas e sendo uma delas insuficiente renal com apenas 1 ano de idade... tenho de estar 100% atenta ( a minha fonte de motivação maior! ). Beijinhos e muitos ronrons!! :D

Deixar Mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.